Posts tagged ‘eficiência energética’

Prêmio: práticas comerciais ecológicas e sustentáveis

Fonte: http://g1.globo.com/economia/noticia/2013/01/press-release-from-business-wire-eltek-1.html

PLANO, (BSW) – A Eltek, líder mundial em sistemas energéticos de alta eficiênciapara projetos de telecomunicações, aplicações industriais e energia renovável, anunciou hoje que uma revolucionária instalação de energia solar no Brasil alimentada por inversores THEIA HE-t de alta eficiência da Eltek, recebeu um prêmio que reconhece as práticas comerciais ecológicas e sustentáveis.

O prêmio do Sebrae-MG foi ganho pela PGM Systems, cliente da Eltek, em disputa com 93 inscritos. O Brasil possui um direcionamento bastante ecológico e a premiação, atualmente em seu segundo ano, foi concebida para estimular a inovação tecnológica, assim como a eficiência, lucratividade e sustentabilidade em micro e pequenos negócios. A PGM é uma empresa de software que instalou um sistema solar fotovoltaico em seu prédio para reduzir o seu impacto no meio ambiente e também seus gastos, já que está localizada em uma região onde os custos com tarifas de serviços públicos são reconhecidamente as mais altas do Brasil.

A instalação foi feita pela Econova, parceira da Eltek. O sistema contém 28 painéis fotovoltaicos de 235 Watts. A central elétrica com 6,6 kW DC tem o suporte de dois inversores de rede Eltek THEIA HE-t de alta eficiência.

O THEIA HE-t da Eltek fornece desempenho de inversão que alcança ou ultrapassa as expectativas de dispositivos de energia renovável utilizados em sistemas fotovoltaicos conectados à rede. Certificado para uso nos mercados americano, asiático e europeu, o inversor também obteve a certificação SunSpec Alliance, provando que o mesmo satisfaz as especificações globais de interoperabilidade. Ele ganhou diversos prêmios de projeto e desempenho para a Eltek.

Os inversores THEIA HE-t se encaixam perfeitamente na implementação de energia solar da PGM Systems porque a sua alta eficiência é ideal para esse tipo de ambiente, onde a produtividade é essencial. O inversor também possui servidores web incorporados que permitem que a PGM, fornecedores e o Estado monitorem a situação da central da PGM e tirem conclusões a partir dos dados coletados.

‘Essa instalação está em um dos mais fortes mercados para energia solar no Brasil’, disse Alberto de Leon, diretor de vendas para energia renovável da Eltek nas Américas. ‘Esse reconhecimento coloca os holofotes sobre a incrível tecnologia da Eltek, em seus parceiros e em sua posição de mercado, e nos ajuda na construção de uma relação com os serviços públicos, dando um bom ponto de referência para futuros negócios’.

Leves e compactos, os inversores THEIA HE-t apresentam um conjunto flexível de conexão, visor colorido com iluminação de fundo e servidor web integrado para configuração rápida e uma fácil operação.

A linha de produtos Eltek THEIA HE-t agora está disponível por meio da equipe de vendas mundial da Eltek.

Sobre a Eltek

A Eltek é uma líder de tecnologia em soluções de alta eficiência em energia para aplicações industriais e nas telecomunicações. A empresa também tem um negócio em expansão nos mercados renováveis, como os de inversores de rede fotovoltaica e carregadores para veículos elétricos. Sediada em Drammen, Noruega, e com uma sede para as Américas em Plano, Texas, as operações globais da empresa empregam aproximadamente 2.900 pessoas, com escritórios em 40 países e vendas em mais de 100 países.

No Brasil, a Eltek é a líder na fabricação de sistemas de alimentação em sua fábrica de 8.000 metros quadrados em São José dos Campos, SP, empregando mais de 180 associados.

Outras informações estão disponíveis em:http://www.eltek.com.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contact

Contato com a imprensa norte-americana The David James Agency LLC David Rodewald / Karen Freedman +1 805 494-9508 eltek@davidjamesagency.com

This material is not an AFP editorial material and AFP shall not bear responsability for the accuracy of its content. In case you have any questions about the content, kindly refer to the contact person mentioned in the text of the release.

End of the Business Wire’s Press Release

 

20/03/2013 at 10:05 Deixe um comentário

Análise de eficiência energética para o Fórum do Meio Ambiente e da Fazenda Pública – TJDFT: Projeto Zanettini Arquitetura

Vertes analisa o Fórum do Meio Ambiente –  um projeto sustentável da equipe Zanettini Arquitetura

O partido adotado retratou a concepção dinâmica e inovadora, valorizando a identidade arquitetônica do edifício e atendendo ao plano urbanístico local e aos critérios  da certificação LEED do USGBC, através de um extenso trabalho e consultoria especializada desde a concepção inicial. A integração de um conjunto de conceitos multidisciplinares, onde todas as disciplinas projetuais criaram e inovaram, influenciou significativamente no resultado final da arquitetura.

A edificação foi implantada longitudinalmente no eixo noroeste-sudeste.  Assim, sua circulação horizontal principal cruza diagonalmente os limites do lote, permitindo o máximo aproveitamento da ventilação cruzada e iluminação natural  nos ambientes internos e a criação de terraços verdes e vazios em todos  os pavimentos, humanizando o ambiente de trabalho.

As superfícies envidraçadas norte e sul são adequadamente protegidas pelos terraços em balanço ou por telas em aço inoxidável, tensionadas e afastadas 80 cm da fachada, garantindo o sombreamento desejável e o conforto de seus usuários, além da conseqüente economia de energia, pelo abrandamento da carga térmica interior.

As superfícies leste e oeste são cegas, evitando a incidência da radiação solar direta  e ganhos térmicos indesejáveis oriundos destas orientações.
A estrutura em aço que se desenvolve em uma malha de 1,25×1,25m, lajes steel deck, fechamentos e divisórias em dry-wall, proporcionam espaços e sistemas flexíveis, permitindo fáceis alterações futuras e prolongando a vida útil do edifício com qualidade, maior agilidade no processo construtivo e um canteiro de obras mais limpo.

Por tanto, a proposta aborda o desafio de minimizar o impacto ambiental da construção, resultando em ambientes internos e externos que garantam o conforto ambiental  do usuário; eficiência energética do edifício e sistemas; possibilidade de utilização de energia limpa; economia de água com reutilização de águas cinzas e pluviais para fins não potáveis e adoção de metais eficientes; e integração com a paisagem do entorno.

Projeto arquitetônico x Modelo termo-energético

Economia de energia do modelo proposto

O edifício foi modelado em duas etapas: a primeira de forma a descrever suas formas geométricas e propriedades de materiais e a segunda de forma a descrever o uso e sistemas internos, ambos respeitando as características de maior importância nos fenômenos de transferência de calor associados. A figura acima apresenta imagem da volumetria gerada para o edifício através do programa SketchUp, com as zonas térmicas consideradas, parte da primeira etapa da modelagem.

Da mesma forma, materiais de cobertura e outros detalhes são inseridos no EnergyPlus sem possibilidade de representação gráfica na figura, tanto na primeira quanto na segunda etapa. No entanto, sabe-se que os projetos fornecidos são a base para a modelagem

A simulação termo-energéticas atenderam aos requisitos exigidos para as horas não atendidas para resfriamento em todos os modelos de acordo com a ASHRAE Standard 90.1 de 2007. A comparação de custos por consumo e demanda da energia elétrica apresentou uma economia de 22,4% no modelo proposto se comparado com a média dos modelos baseline. Este resultado atende o percentual mínimo exigido no LEED–NC e permite ainda obter uma pontuação adicional na classificação geral da edificação.

03/09/2012 at 21:02 Deixe um comentário

Alpha Business | Campinas – SP: nível A em projeto e edifício construído pela etiquetagem do INMETRO

Ahpha Business | Campinas/SP

Arquitetura: Primi & Appoloni

Projeto luminotécnico: Vertes Arquitetura Bioclimática e Eficiência Energética

Localização: Alphavile – Campinas – São Paulo

Área construída: 31.905,91 m²

Ano do projeto: 2009-2011

No mundo dos negócios quem pensa no futuro sai na frente. É por isso que escolher um lugar onde a sustentabilidade é prioridade e a valorização dos espaços é uma certeza, faz parte do planejamento de quem quer fazer sucesso. Alphabusiness Green Complex. Um lugar à frente do seu tempo, para profissionais à frente do mercado.

O Alpha Business Green Complex é o primeiro empreendimento a receber a certificação no estado de São Paulo. Obteve etiquetas nível A tanto em projeto quanto em edifício construído (assessoria Vertes Arquitetura). O complexo possui vidros de alto desempenho, eficiência na envoltória e nas áreas comuns e conta também com um projeto luminotécnico eficiente (projeto Vertes Arquitetura).

O complexo conta com coleta seletiva de lixo; utiliza poços absorventes para reaproveitamento de águas pluviais; redução de impactos ambientais no canteiro de obras e em seu entorno, com utilização racional dos recursos; conservação de energia e gerenciamento ecológico de resíduos; triagem de resíduos da obra e destinação para reciclagem e reaproveitamento; área verdes permeáveis e redução de áreas pavimentadas; implantação de espécies nativas da flora no paisagismo, adaptadas às condições climáticas do local; uso de tecnologias e equipamentos para redução do consumo de água e energia nas áreas comuns e nas unidades.

Com relação à otimização da eficiência energética da edificação, o empreendimento Alpha Business foi assessorado pela Vertes, para submeter o projeto à metodogia da Etiquetagem Nacional de Conservação de Energia (ENCE), do INMETRO. Neste âmbito, foram analisadas as propriedades térmicas dos componentes das paredes e coberturas. A envoltória da edificação apresentou um bom desempenho térmico e energético, devido à boa combinação das estratégias utilizadas, como isolante termo-acústico nas coberturas, revestimentos externos claros, áreas envidraçadas de alto desempenho, vidro com baixo fator solar (vidros que impedem ganhos excessivos de calor), entre outros.

Ainda, para alcançar a classificação mais elevada da ENCE, a edificação conta com sistemas eficientes de iluminação artificial (aproveitamento da iluminação natural, controle automático de desligamento, uso de luminárias, lâmpadas e reatores eficientes).

No dia 30 de novembro de 2011, a edificação construída recebeu a ENCE parcial, sendo a primeira etiqueta nível A do país no estado de São Paulo. Fotos no momento da inspeção:

20/06/2012 at 12:23 Deixe um comentário

Vertes participou do Seminário de Eficiência Energética em Edificações

A  Vertes participou do 1ª seminário de Eficiência Energética em Edificações e Perspectivas para o Mercado Brasileiro, que ocorreu em Florianópolis, dia 09 de março de 2012. Se você tem interesse em saber mais sobre a certificação brasileira do INMETRO, acesse a página do SEMINÁRIO EEE e faça o download das paletras que foram ministradas no dia do evento.

02/04/2012 at 14:06 Deixe um comentário

Primeira edificação nível A do país pela etiquetagem do INMETRO

Centro de Documentação e História da Saúde (CDHS)

Arquitetura: Cristiane Cabreira e Archi 5 Arquitetos Associados

Autores: Cristiane Cabreira, Alexandre Pessoa, Inês El-Jaick

Projeto luminotécnico: Vertes Arquitetura Bioclimática e Eficiência Energética

Localização: Manguinhos, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Área construída: 3.515.00 m²

Ano do projeto: 2006-2009

Segundo a arquiteta Cristiane Cabreira, o projeto do Centro de Documentação e História da Saúde  (CDHS) foi desenvolvido tendo como objetivo preservar, organizar e difundir os acervos arquivísticos e bibliográficos, pertencentes à Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz, e que se relacionam com a história das ciências biomédicas e da saúde no Brasil, em local adequado construído segundo as normas técnicas mais modernas e dotado de infraestrutura para preservação de acervos documentais.

Para o projeto do CDHS,  adotou-se critérios de sustentabilidade ambiental contribuindo para a política de desenvolvimento sustentável da instituição, para a implementação de energias renováveis e aproveitamento máximo possível de recursos naturais e principalmente para a preservação do meio ambiente.

As referências de sustentabilidade ambiental do projeto se basearam no procedimento francês Haute Qualité Environnementale (HQE®) para promoção da sustentabilidade em edificações. Neste sentido foram adotados sistemas de captação e reuso de águas pluviais, sistemas de resfriamento passivo e adoção de materiais menos impactantes no meio ambiente.

Com relação à otimização da eficiência energética da edificação, a Fundação  Oswaldo Cruz foi assessorada pela Vertes, para submeter o projeto à metodogia da Etiquetagem Nacional de Conservação de Energia (ENCE), do INMETRO. Neste âmbito, foram analisadas as propriedades térmicas dos componentes das paredes e coberturas. A envoltória da edificação apresentou um bom desempenho térmico e energético, devido à boa combinação das estratégias utilizadas, como isolante  termo-acústico nas coberturas, revestimentos externos claros, áreas envidraçadas com proteções solares, vidro com baixo fator solar (vidros que impedem ganhos excessivos de calor), entre outros.

Ainda, para alcançar a classificação mais elevada da ENCE, a edificação conta com sistemas eficientes de iluminação artificial (aproveitamento da iluminação natural, controle automático de desligamento, uso de luminárias, lâmpadas e reatores eficientes) e de condicionamento de ar (sistema com alto coeficiente de performance). Também, o projeto apresentou iniciativas que o bonificaram na classificação geral, como o uso de bacias de duplo acionamento, torneiras com arejadores e aproveitamento da água da chuva.

No dia 22 de setembro de 2011, a projeto recebeu a ENCE completa, sendo a primeira etiqueta nível A do país pelo método de simulação computacional.

Além disso, foram adotados critérios de acessibilidade universal conforme orientações da NBR 9050 – Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos.

13/03/2012 at 23:30 Deixe um comentário

Casa Átrio na Mercato Immobiliare

Casa Átrio – Sustentabilidade levada a sério

Foto: Eduardo Faust

Para garantir a sustentabilidade da residência, foi realizada uma análise dos materiais e de índices de conforto ambiental pela VERTES, seguindo os critérios do RTQ-R. A partir dessa análise indentificou-se a classificação de eficiência  que residência obteria.

Arquitetura: FAUST■SALVAGNI

Fotografias: Romulo Ceretta

Leia a matéria completa em: Mercato Immobiliare

Veja também a análise completa parte 2 e parte 3 da Casa Átrio:

13/03/2012 at 19:00 Deixe um comentário

Mídia: Saiba como baixar o consumo de energia elétrica nas edificações

Os edifícios comerciais, de serviços e públicos fazem parte do Programa Brasileiro de Etiquetagem do Inmetro. Através deste programa, edifícios são avaliados e é fornecida uma etiqueta que indica o nível de eficiência do edifício, que pode variar de nível “A”, mais eficiente, a nível “E”, menos eficiente.

Didaticamente, afirma-se que, assim como diferentes eletrodomésticos possuem uma etiqueta indicando seu nível de eficiência energética, de maneira análoga, as edificações comerciais, de serviços e públicas terão uma etiqueta equivalente, que indicará o resultado das avaliações de seu projeto arquitetônico, sistema de iluminação e sistema de condicionamento de ar. Inicialmente, este regulamento terá um caráter voluntário para edificações novas e existentes, mas há previsão de que no futuro será obrigatório às novas edificações.

A etiqueta indica o nível de eficiência da envoltória (fachadas e coberturas, incluindo aberturas envidraçadas), do sistema de iluminação e do sistema de condicionamento de ar. Ela pode ser fornecida integralmente, ou em partes separadas: envoltória, envoltória + sistema de iluminação ou envoltória + sistema de condicionamento de ar. Tendo as três partes, recebe-se a etiqueta completa.

A avaliação do nível de eficiência energética do edifício é composta de duas etapas: etapa de avaliação de projeto, pela qual se identifica o nível de eficiência do edifício projetado, e etapa de avaliação do edifício, oportunidade em que o edifício já construído é inspecionado para verificar se as características do projeto foram atendidas.

Assista ao vídeo terá mais informações sobre o processo de certificação:

http://mediacenter.clicrbs.com.br/templates/player.aspx?uf=2&contentID=240782&channel=47

01/03/2012 at 16:30 Deixe um comentário

Posts antigos


Blog Vertes
O Blog Vertes compartilha ações integradas de sustentabilidade entre empresas, consultores, estudantes e interessados na área de sustentabilidade em edificações.

Posts recentes

Acesse o website da Vertes
Curta nosso Facebook
Siga nosso Twitter

%d blogueiros gostam disto: